A polêmica com a nova política de privacidade do Spotify fez com que o serviço pedisse desculpas pela confusão ainda na sexta-feira (21). O CEO do streaming de músicas também deu mais detalhes sobre o que faz com os dados do usuário. O problema ocorreu por que os novos termos indicavam que o aplicativo teria acesso a informações como fotos, localização e contatos também no celular.
Obama, presidente dos EUA, cria playlist do Spotify; saiba como ouvir
Em um longo post no blog oficial do Spotify, Daniel Ek reconheceu a falha de comunicação. O Spotify fez as mudanças no texto sem avisar aos usuários. “Nós entendemos a preocupação das pessoas sobre suas informações pessoais e estamos nos dedicando a proteger a privacidade de nossos usuários e garantir que eles tenham controle sobre as informações compartilhadas”, afirmou.
Spotify Running (Foto: Reprodução/Spotify)
A nova política do serviço dá ao Spotify o direito de coletar dados do smartphone do usuário. Entre as informações estão os contatos, as fotos e a localização através de GPS e Bluetooth. Segundo Ek, estes elementos só podem ser coletadas com a autorização do usuário e serão usados apenas da forma que ele permitir. Em nota, o streaming de música afirma que as fotos, por exemplo, seriam usadas para criar capas personalizadas para playlists ou imagens de perfil. Como acontece com as recente playlist Descobertas da Semana, com sugestões de faixas.
Já a localização serve para melhorar o sistema de recomendações com músicas popular...

>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.