A NASA acaba de testar com sucesso uma turbobomba, presente num motor de foguete, feita quase exclusivamente com peças fabricadas com impressora 3D. A bomba usa 45% menos peças que as tradicionalmente empregadas em foguetes e, junto com outros experimentos envolvendo impressão 3D, promete uma produção mais eficiente de futuras naves espaciais, possibilitando missões a Marte com custos reduzidos.
Veja a nova técnica de impressão 3D usa vidro em vez de plástico
Os engenheiros do Marshall Space Flight, da NASA, projetaram a bomba e seus componentes, convidando depois fornecedores com experiência em construção de peças 3D.
Turbobomba feita com impressão 3D obteve sucesso em testes (Foto: Divulgação/NASA)
Para fazer cada parte, primeiramente o desenho foi digitalizado em um computador de impressora 3D. A impressora então construiu cada pedaço sobrepondo camadas de pó metálico e fundindo-as com a ajuda de um laser, num processo conhecido como fusão a laser seletiva. Uma sequência de 15 testes foi realizada no instituto, localizado no Alabama (EUA). Usando propulsor de hidrogênio líquido, a turbina girou 90.000 rpm, gerando potência de 2.000 cavalos – duas vezes a potência de um motor Nascar, usado em carros de Fórmula Um. A bomba também moveu 1.200 galões (cerca de litros 45.500 litros) de hidrogênio líquido por minuto, suficiente para alimentar um motor de foguete de 155.750 N.
Qual a utilidade de uma impressora 3D? Descubra no Fórum do TechTudo! “Projetar, construir e testar uma parte de foguete tão complexa ...

>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.