Alguns modelos de notebooks, especialmente os mais básicos, pertencentes ao segmento de entrada, sofrem com um problema crônico: ao reproduzirem vídeos do YouTube passam a esquentar demais e, na tentativa de resfriar o aparelho, as ventoinhas começam a trabalhar na velocidade máxima, gerando muito ruído.
HDs wireless da Seagate podem apresentar falha grave de segurança
A culpa disso é, em primeiro lugar, do hardware modesto destes aparelhos. Uma solução para este problema é rodar o vídeo em resoluções mais baixas, como 480p. Porém, o grande vilão neste tipo de problema é um codec específico de video. Estamos falando dos codecs VP8 e VP9, usados pela Google. Entenda agora o problema.
Entenda por que alguns notebooks sofrem ao rodar videos do YouTube (Foto: Anna Kellen/TechTudo)
O YouTube passou a utilizar, a partir de 2010, um novo formato de vídeos, o WebM. O WebM foi criado pela própria Google com o objetivo de acelerar as reproduções de vídeos, especialmente em dispositivos móveis. Ele é open source, fornece uma alta taxa de compressão e mantém um bom nível de qualidade. Além disso, ele se comunica nativamente com o HTML5. O formato WebM utiliza o codec de vídeo VP8, que também foi desenvolvido pela Google em parceria com a On2 Technologies. Como codec de áudio é usado o Vorbis e ambos se encontram num contêiner Matroska. O VP8 foi substituído há pouco tempo pelo VP9, que trouxe algumas adições, como suporte a vídeos em 4K, a nova tendência da internet. Navegadores como Chrome e Firefox, ao reproduzirem...

>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.