Os problemas de segurança nas principais capitais brasileiras fazem com que muitas pessoas optem por contratar um seguro para smartphones e outros outros equipamentos eletrônicos. Além disso, existe o fator do valor elevado dos celulares – o novo iPhone 6S nos Estados Unidos, por exemplo, sai por US$ 649 (mais de R$ 2,6 mil, pelo câmbio de hoje).
Mais de 60 celulares são roubados por hora no Brasil; Rio lidera ranking
Será que o seguro realmente é uma boa opção? O TechTudo preparou um resumo com o que você precisa saber antes de contratar um plano de proteção para o seu aparelho.
Seguros para smartphones pode ser uma boa saída diante de violência crescente (Foto: Arte/TechTudo)
Quanto custa um seguro? O preço do seguro pode estar baseado no valor do aparelho adquirido, que deve ser comprovado a partir da nota fiscal – com tempo máximo é de 12 meses desde a data de compra. No geral, o valor do seguro fica em torno de 20% a 30% do preço original do aparelho e tem duração de um ano. Caso o usuário não tenha dinheiro para pagar à vista, o valor total pode ser parcelado de acordo com as regras da seguradora contratada. A pesquisa entre diferentes empresas também é recomendada. Para a cotação de um iPhone 6 de 16 GB, por exemplo, o TechTudo encontrou uma seguradora com mensalidades de R$ 47,99 e outra de R$ 53,99. A diferença é de 12%. Apesar disso, é sempre importante verificar o que está incluído na apólice. Quais aparelhos são cobertos?
iPhones e outros aparelhos vendidos no Brasil são cobertos contra ...

>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.