Cientistas da Universidade Purdue, nos Estados Unidos, criaram um novo tipo de impressão 3D. Batizado de RevoMaker, o novo método permite que produtos complexos, com partes móveis e até circuitos eletrônicos, sejam criados num processo de impressão único. As modificações, de acordo com os pesquisadores, são mínimas e podem ser adaptadas em impressoras 3D comuns a um custo baixo.
O que é e como funciona a impressora 3D? Impressoras 3D convencionais funcionam no método batizado de aditivo, em que o dispositivo cria um objeto por meio do depósito de uma camada de resina plástica por vez. Essa saída é eficiente para a fabricação de peças e objetos estáticos, mas tem limitações.
Base em forma de cubo oferece suporte para a impressão de um modelo complexo (Foto: Reprodução/YouTube)
Uma delas é quando o design do objeto a ser impresso possui alguma saliência, ou extremidade, como os braços de um boneco, por exemplo. Para serem impressos, esses detalhes precisam ser criados com a ajuda de suportes, que adicionam complexidade à impressão, tempo e costumam significar maior consumo de material.
Para que serve uma impressora 3D? <b>Comente no Fórum do TechTudo.</b> A solução empregada pelo método RevoMaker é usar um suporte de impressão cúbico, diferente da área plana usada tradicionalmente. Dessa forma, o objeto a ser criado pode ser produzido com maior velocidade nas faces do cubo, que também pode abrigar circuitos eletrônicos para dar ao objeto impresso movimento e outros recursos. Veja no vídeo abaixo como a técnica funciona:
Os pesqu...


>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.