N-Gage, Virtual Boy, CD-i, Jaguar e 3DO são considerados alguns dos piores videogames de todos os tempos. Seja pela falta de jogos, tecnologia mal implementada, baixas vendas ou outras características: eles não fizeram sucesso e tiveram vida curta no mercado. Saiba detalhes destes e outros aparelhos fracassados. Quanto custariam atualmente os videogames antigos? Virtual Boy O Virtual Boy é a mancha no currículo da Nintendo, atual criador do Wii U, Wii, 3DS e DS, consoles relativamente populares e bem sucedidos entre seu público. O Virtual Boy, porém, foi um fracasso. Lançado em 1995, o aparelho sofreu de graves problemas, a começar pelo seu design pouco ergonômico.
Virtual Boy foi um grande fracasso (Foto: Divulgação/Nintendo)
Para jogar, era preciso colocar aparelho em cima de uma mesa e encaixar sua cabeça no visor, que ficava fixo. Na teoria, o Virtual Boy teria gráficos 3D, como no cinema 3D de hoje em dia, mas o efeito era precário. A falta de jogos também era um problema. Seu preço foi de US$ 180 e vendeu “apenas” 770 mil unidades, número baixo para os padrões da empresa, apenas para ser descontinuado em menos de um ano depois de lançado. CD-i O CD-i foi fabricado pela Philips e lançado em 1991. Foi vendido não apenas como um videogame, mas também como um tocador de CDs, grande novidade na década de 90. Seu maior inimigo foi o preço inicial, custando US$ 700 no mercado, mas logo vieram outros problemas, como a qualidade dos jogos.
O estranho e fraco CD-i (Foto: Reprodução/RetroGamer)
Apesar da “potência” em ler CDs, o aparelho tinha games ruins e com qualidade de vídeo baixa, foi descontinuado apenas em 1998, e por isso conseguiu vender um milhão de aparelhos. Antes disso, a Philips tentou uma parceria com a Nintendo que não deu certo, mas que lhe concedeu os direitos de lançar jogos das séries Zelda e Mario. Games como Link: The Faces of Evil, Zelda: The Wand of Gamelon e Zelda’s Adventure são até hoje considerados os piores da saga. N-Gage O N-Gage é um caso bem peculiar de console portátil. Ele foi lançado pela Nokia como um celular com altas capacidades para game. O portátil veio com vários erros de design e de marketing. Lançado em 2003, por US$ 300, o aparelho ganhou uma nova chance, com relançamento feito em 2004, já com o nome de N-Gage QD.
O N-Gage era promissor, mas falhou (Foto: Felipe Vinha/TechTudo)
Porém, o N-Gage sofreu com poucos jogos de peso lançados em seu catálogo. Apesar de ter sido um aparelho relativamente bom para jogos, era péssim...


>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.