Cientistas e start ups da Europa começam a testar as primeiras aplicações da tecnologia Li-Fi, que visa disponibilizar conexão com a Internet por meio de luz emitida por lâmpadas de LED compatíveis com a tecnologia, em vez de ondas de rádio, como o Wi-Fi que usamos atualmente. 

Pesquisadores testam Li-Fi e conexão é 100 vezes mais rápida que Wi-Fi

A tecnologia ainda engatinha, mas já mostra grande potencial com resultados 100 vezes melhores do que o Wi-Fi em termos de velocidade de transferência de arquivos.

Assistir filmes e séries

A vida promete ficar bem mais fácil para quem curte assistir filmes e séries via Internet. Embora o fator determinante sobre a performance desse tipo de serviço seja a velocidade da sua Internet, e não a taxa de transferência entre o roteador e o seu dispositivo, o uso do Li-Fi deve melhorar as coisas para quem não tem Internet tão rápida.

Curtir séries e filmes por meio de serviços como o Netflix será mais confortável com o Li-Fi (Foto: Divulgação/Netflix)

Se hoje a Internet distribuída via Wi-Fi pode apresentar gargalos e causar travadas na hora de ver algum conteúdo em resolução mais alta, como Full HD, o Li-Fi promete dar conta disso e muito mais, já que a velocidade é tão superior.

Em testes de performance, realizados em laboratório, o Li-Fi pode chegar a 224 gigabits por segundo (Gbps). Com essa velocidade, é possível transmitir 18 filmes de 1,5 gigabytes a cada segundo.

Jogos em multiplayer

Conectar PC, ou console, à Internet para jogar, via Wi-Fi, não é uma boa ideia: a rede sem fio costuma apresentar velocidades de transferências mais lentas do que via cabo, o que pode provocar atrasos na transmissão de dados entre o dispositivo que roda o jogo e os servidores na Internet: o resultado é o temido “lag”, que compromete a experiência e diminui consideravelmente a diversão.

Uso do Li-Fi pode tornar a conexão sem fio viável para jogos em rede, além de deixar roteadores atuais para trás (Foto: Fabricio Virorino/TechTudo)

Tudo isso pode ser contornado quando o Li-Fi se tornar viável, já que as velocidades de transferência de informação entre dispositivo e roteador serão bem mais altas.

Um roteador top de linha, no padrão 802.11n, pode atingir 600 Mbps (megabits por segundo). É uma velocidade 370 vezes menor do que os 224 gigabits por segundo possíveis com o Li-Fi.

Vai valer a pena ter um servidor em casa

Usando o Li-Fi, sua rede doméstica poderá oferecer velocidades extremamente altas para a troca de arquivos. A 224 gigabits por segundo, você poderia mover uma temporada inteira da sua série preferida do computador a um HD externo em dois segundos.

Com o Li-Fi, você poderia transferir 18 arquivos de 1,5 GB em apenas um segundo na sua rede doméstica (Foto: Pedro Cardoso/TechTudo)

Outro exemplo: você poderia transferir 50 GB de músicas do seu celular para o seu computador em poucos segundos. Com o uso de um HD externo de mesa, com acesso à Internet, todos os seus arquivos poderiam ser facilmente acessados na rede e transferidos com grande velocidade.

Streaming em 4K

...

O Chromecast ainda não suporta 4K, mas futuras gerações do dispositivo do Google e seus rivais deverão ser capazes de distribuir vídeos nesse tipo de resolução.

Furutas versões do Chromecast e dispositivos do gênero podem se beneficiar das altas velocidades do Li-Fi (Foto: Divulgação/Google)

Nesse cenário, redes sem fio de alta velocidade serão essenciais. Um vídeo de um minuto em Full HD, com 25 quadros a cada segundo, e compactado a H.264 pode ter até 56 MB. O mesmo vídeo de um minuto, com as mesmas especificações, mas com resolução 4K, pode ter até 1,68 GB.

Ou seja, conteúdos nessa resolução podem ser até 20 vezes maiores do que o Full HD. Para curtir streaming em 4K na sua rede sem fio, será necessário que a velocidade de transferência cresça bastante para suprir essa demanda. Com o Li-Fi, é possível dar conta desse volume de dados, já que em um segundo, é possível transmitir 224 gigabits.

Roteador com pouco sinal, como resolver? <b>Confira no Fórum do TechTudo.</b>

Casas conectadas

Com a popularização de dispositivos com a Internet das Coisas, residências conectadas terão de aprimorar sua cobertura de rede sem fio.

Para funcionar corretamente, esses aparelhos e acessórios, que vão de geladeiras à janelas, precisam estar constantemente conectados com a Internet. Uma forma interessante de prover o acesso à rede pode ser o Li-Fi.

Além de permitir altas velocidades para a troca de informações, a rede baseada na luz pode se distribuída em todo o espaço de uma residência de forma eficiente, já que ao contrário dos sinais de rádio emitidos pelos roteadores Wi-Fi, o Li-Fi não sofre interferências.

Outra vantagem é o fato de que, nesse modelo, cada lâmpada da residência serve de ponto de distribuição de Internet, permitindo que todos os espaços da casa recebam sinal de rede de qualidade.



>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.