Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.

Você já deve ter visto drones participando de operações de vigilância e em locais arriscados mundo afora. Mas engana-se quem pensa que o desenvolvimento dessa tecnologia ocorre apenas fora do Brasil. A equipe Black Bee da Universidade Federal de Itajubá, em Minas Gerais, criou um sistema para essas aeronaves capaz de fazer reconhecimento facial e detectar objetos durante o voo. O grupo de estudantes esteve na Drone Show 2018 em São Paulo e o Olhar Digital conferiu uma demonstração.

O drone desenvolvido pela Black Bee é autônomo, ou seja, ele dispensa a interação humana após a decolagem. Para isso, o aparelho utiliza um grupo de sensores necessário para voo e outro conjunto para capturar os dados que serão processados por um computador de bordo. A ideia é que o próprio equipamento seja capaz de reconhecer uma situação e tomar medidas para resolvê-la.

Durante a sua apresentação na capital paulista, a equipe de acadêmicos demonstrou situações de vigilância em que um drone reconhece uma pessoa e a segue no espaço. Além disso, foram ensaiadas manobras que a aeronave pode fazer ao reconhecer objetos à sua frente, incluindo um giro completo no ar. A Black Bee aplica essas habilidades em campeonatos mundiais nos quais os competidores devem encarar simulações de emergência. A próxima parada é em Melbourne, na Austrália.

Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.