Os antivírus são programas que monitoram todas as possíveis vias de contaminação por arquivos maliciosos do computador, como entradas físicas, sites da Internet e downloads, escaneando-os constantemente. Quando encontram algum item suspeito, alertam o usuário para colocá-lo em quarentena. Ou seja, isolá-lo do sistema para análise, a fim de evitar contaminação. No entanto, nem sempre acertam e, por vezes, indicam arquivos inofensivos como potencialmente perigosos, gerando o conhecido "falso positivo".
Usar mais de um antivírus não é uma boa ideia
Falsos positivos parecem inofensivos, mas podem desencadear em perda de dados e inviabilizar o sistema (Foto: Pond5) De acordo com a organização independente que realiza testes sistematicamente em programas antivírus, a AV Comparatives, “nenhum produto é imune a falsos positivos, mas alguns são mais do que outros”. Em experimento realizado em setembro de 2017, apenas um entre 21 softwares analisados não cometeu o erro. Ainda segundo o site da companhia, o grande problema da detecção falha é o fato de poder desencadear na perda de dados ou mesmo inviabilizar o sistema. Normalmente, os mais afetados nesses casos são os programas de desenvolvedores menos conhecidos. Os grandes, entretanto, não estão imunes. Anos atrás, a McAfee mandou p...

>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.