Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.
email facebook googleplus pinterest twitter whatsapp

O segundo split do CBLoL 2018 terminou neste sábado (8) e consagrou a KaBuM! campeã. A equipe paulista, que já tinha conquistado a primeira etapa do campeonato, venceu o Flamengo e garantiu sua vaga no Campeonato Mundial de League of Legends. A festa da grande final contou com a participação de Emicida, que lançou uma música em homenagem aos esports e aos jogadores brasileiros, como Felipe "brTT" Gonçalves. O TechTudo conversou com o rapper nos bastidores do campeonato, e ele contou uma pouco mais sobre o lançamento e revelou ser apaixonado por videogame.

Emicida lança música na final do CBLoL 2018; veja entrevista com o cantor (Foto: Divulgação/Riot Games)Emicida lança música na final do CBLoL 2018; veja entrevista com o cantor (Foto: Divulgação/Riot Games)

Emicida lança música na final do CBLoL 2018; veja entrevista com o cantor (Foto: Divulgação/Riot Games)

Chamada de “É só um joguinho”, a letra da nova música cita uma série de jargões criados pelos atletas brasileiros de LoL. “Eu não queria só me apropriar de uma série de jargões da comunidade, eu queria fazer uma espécie de homenagem para os moleques. Por que fazer uma homenagem? Porque o que eles fizeram com League of Legends foi algo muito próximo ao que a gente fez com a cultura do hip hop: expandir uma ideia, aumentar os horizontes, vencer limites. Quando a gente começou, éramos seis moleques em uma calçada fazendo hip hop, em clima de improviso. E as pessoas passavam e diziam coisas parecidas com ‘ah, isso é só um joguinho’”, compara o cantor.

Emicida, que declara "amar videogame", joga League of Legends nas horas vagas e acompanha o cenário competitivo do jogo. Para o cantor, a trajetória do esport e dos atletas no Brasil foi uma inspiração. “Quando você olha a história do brTT, por exemplo, mostra que você tem que acreditar em uma coisa que muitas vezes o entorno não acredita. Pra mim isso foi muito inspirador. Ao fazer a música eu queria muito agradecer essa molecada. Não só o brTT, mas jogadores como o Revolta e outros ícones brasileiros. Caras que você olha jogando e diz: ‘como ele fez isso?!’”, completa.

O cantor, que joga videogame desde criança, conta que hoje em dia boa parte da sua diversão é no seu Nintendo Switch. Outro vício de Emicida é o jogo brasileiro Dandara, e ele não deixa de citar o clássico Super Metroid, em 2D. “Para mim esse é o melhor jogo de todos os tempos”. No LoL, no entanto, Emicida faz questão de destacar que ainda é amador. “Eu não jogo que nem os caras, né? É bom deixar isso bem claro aqui para que ninguém me desafie. Até porque seria bem vergonhoso para mim”, brinca. BrTT já fez o convite pelo Twitter para o cantor ir jogar com ele.

“Estou treinando justamente para poder jogar com dignidade com esses caras. Por enquanto eu brinco com os meus amigos, um que é estoquista do mercado, outro que é atendente do banco… E aí a gente gente chega ali e se diverte”, finaliza Emicida.

Assista ao show na abertura do CBLoL:

Letra da música:

*A jornalista viajou a convite da Riot Games

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.