O interesse dos brasileiros pela Black Friday diminuiu em 2015. Dados do Google Trends, popular medidor de tendências de buscas online, revelam que o volume de pesquisas pelo evento de compras na Internet despencou. A surpresa é que a ação de vendas tinha crescimento substancial desde 2011. No Twitter, para completar, a data mal aparece entre os assuntos mais comentados.

Black Friday: descontos bizarros, metade do dobro, frete e prazos abusivos

A procura pela Black Friday aumentou às 22h de quinta-feira (27), mas, desde então, começou a cair. O mesmo fenômeno foi observado nos Estados Unidos, mas a queda por lá é menor e menos brusca.

Volume de pesquisa pela Black Friday foi menor no Brasil em relação aos Estados Unidos (Foto: Reprodução/Google Trends)

O menor interesse dos consumidores também foi sentido em outros locais. Segundo o site Reclame Aqui, o volume de reclamações nas doze primeiras horas da promoção foi bastante menor em 2015 do que no mesmo período de 2014.

Um ranking elaborado pelo site mostra que as reclamações mais comuns dos internautas são propagandas enganosas, problemas na finalização da compra, promoções, divergência de valores e produtos indisponíveis. As lojas mais criticadas são Kabum, Americanas e Submarino.

Black Friday não aparece co
... mo assunto comentado no Twitter (Foto: Reprodução/Twitter)

Os motivos que levaram à queda no interesse não são certos, mas incluem a crise econômica brasileira e a desconfiança do consumidor em relação aos varejistas que participam da promoção. De acordo com muitos usuários, as lojas usam práticas desonestas para incrementar as vendas.

Via Reclame Aqui

O que você achou do novo código de ética da Black Friday? Comente no Fórum do TechTudo.



>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.