O HP ProBook 445 G7 é um dos notebooks à venda no Brasil com chips da AMD. O dispositivo tem bateria suficiente para até seis horas de uso e surpreendeu em termos de desempenho, trazendo Ryzen 5 4500U e 8 GB de RAM nas especificações da versão testada pelo TechTudo. Apesar do hardware interessante, o design é bastante tradicional, com bordas grandes em torno da tela Full HD e, como ponto positivo, boa oferta de entradas e interfaces.

O computador da HP também tem armazenamento em SSD e slot extra de memória, permitindo um futuro upgrade. Com essa ficha técnica, o ProBook 445 G7 é encontrado por ao menos R$ 5.699 no varejo nacional. Confira a seguir a avaliação completa do notebook HP e saiba se ele vale a pena para você.

Design bem tradicional

O visual do HP ProBook 445 G7 é dos mais tradicionais: a tela tem bordas grossas e na cor preta, a mesma utilizada nas teclas em contraste com o acabamento prateado do computador. O trackpad não é grande, diferente de diversos notebooks mais recentes, e há um leitor de impressões digitais que não fica no teclado em si, e sim abaixo dele. O computador tem inclusive certificação militar de resistência, garantindo boa durabilidade.

Vale destacar a digitação confortável no computador, que também é um fator importante para aumentar a produtividade no dia a dia. Apesar disso, o botão de energia não passa tanta confiança, parecendo inclusive estar travado em alguns momentos – nada que interfira no uso da máquina.

As entradas disponíveis, por sua vez, são bastante satisfatórias – algo importante para um notebook voltado para uso profissional. Estão presentes uma HDMI, duas USB 3.1 e uma USB-C, além de uma porta auxiliar para fones de ouvido e leitor de cartões SD. Seguindo o perfil tradicional do design, essa "abundância" de interfaces é importante para usar uma segunda tela, adicionar um armazenamento externo, entre outros exemplos.

Tela e webcam

Com resolução Full HD, o display IPS do ProBook 445 G7 funciona muito bem para trabalhar, assistir séries ou até mesmo jogar. O que mais pesa é, na verdade, a borda mais grossa, que foge do padrão visto em outros computadores voltados para produtividade no mercado. Nas especificações, são 14 polegadas, 200 nits e tecnologia antirreflexo, que ajuda bastante o uso em ambientes com muita luz.

Já a webcam o laptop não chegou a agradar muito durante chamadas, gravando em 720p e entregando imagens com pouca nitidez. Apesar disso, não fica muito abaixo do padrão encontrado em outros notebooks. O destaque fica por conta de uma trava manual, em que o usuário pode deslizar para abrir ou fechar a câmera de forma rápida.

(Alto) Desempenho

Aqui está a principal vantagem do ProBook 445 G7. Na opção com processador Ryzen 5 4500U, estão presentes ainda 256 GB em SSD NVMe e 8 GB de RAM DDR4. A ficha técnica fica mais ou menos na média de modelos voltados para produtividade, mas a experiência no dia a dia mostra um computador bastante fluido e que pode funcionar para diferentes trabalhos.

Em uso extremo, foi possível rodar Watch Dogs 2, por exemplo. A máquina sofreu, mas foi possível jogar sem muitos travamentos e com configurações de vídeo em baixa. Outro game testado foi o CS:GO, que fluiu ainda melhor, com 50 a 60 fps. Considerando que esse tipo de uso passa longe da proposta do computador, o resultado foi bem interessante. Até porque, para editar vídeos simples, por exemplo, a máquina entrega bom resultado. Vale ressaltar que o chip gráfico é integrado: uma AMD Radeon de seis núcleos.

Já para editar arquivos de texto, planilhas, entre outras aplicações do tipo, o ProBook 445 G7 não tem dificuldades. É importante lembrar que isso se deve bastante à boa performance multicore dos chips Ryzen, o que significa bons resultados para trabalhar em diversas frentes ao mesmo tempo.

Dessa forma, é possíve

... l assistir a vídeos no YouTube em uma aba, abrir diversas páginas de texto, realizar downloads e ter algum programa de edição aberto na máquina ao mesmo tempo, sem muitos travamentos.

Bateria

A HP fala em bateria de "longa duração", sem determinar um período fechado. Durante os testes, foi possível trabalhar na máquina por seis horas até o fim da carga. Com maior exigência do sistema, esse tempo caiu para 4,5 horas. Não chega a ser pouco, mas há opções de mesma faixa de preço e proposta que prometem maior autonomia.

Recursos

Como é um modelo voltado para uso profissional, o ProBook 445 G7 conta com diversos recursos de segurança. Além da tampa manual da webcam e do leitor de impressões digitais, vale destacar as defesas via software. Dessa forma, a HP promete maior proteção desde a BIOS, além de utilizar Inteligência Artificial para reconhecer possíveis ataques e tecnologia na tela para evitar a visualização por terceiros.

O computador também vem com Wi-Fi 6, padrão mais recente. Os resultados – junto a um roteador com suporte – foram bem superiores à tecnologia mais antiga, 802.11ac (5), com downloads bem mais rápidos e boa fluidez nas tarefas online.

Preço e concorrentes

Sendo voltado para uso corporativo, o modelo da HP tem rivais em computadores como os ThinkPad, da Lenovo. Mas, em relação a produtos voltados para o consumidor final – como também se propõe a fazer –, vale destacar rivais como Zenbook 14, da Asus, e Dell XPS 13. Enquanto o primeiro tem como diferencial uma tela no lugar do trackpad, o top de linha da Dell pode vir com tela 4K e sensível ao toque, algo interessante para apresentações de trabalhos, por exemplo.

Os três prometem funcionar muito bem para trabalhar, seja com textos e planilhas ou com edições mais simples de fotos e vídeos. Durante os testes do TechTudo, os três foram muito bem para esses tipos de uso, mas o ProBook 445 G7 se destacou pela presença do chip Ryzen, que entregou bons resultados em diferentes frentes ao mesmo tempo.

Em relação aos preços, o computador da HP sai a, pelo menos, R$ 5.699, enquanto os laptops de Asus e Dell saem a, pelo menos, R$ 6.999 e R$ 8.108, respectivamente. Vale lembrar que o Zenbook aparece apenas com chip Core i7, da Intel, e 8 GB de memória, enquanto o XPS 13 também está à venda com Core i5, na versão mais simples – e a mesma quantidade de RAM. O ProBook, por sua vez, pode vir equipado com um Ryzen 7 4700U, custando R$ 6.509 no varejo nacional.

Conclusão

O HP ProBook 445 G7 é uma boa opção para quem busca um notebook para trabalhar e/ou estudar. Apesar do design bastante tradicional – com direito a tela sem as já comuns bordas finas –, o laptop vem com um bom número de interfaces, construção resistente e um teclado confortável para usar durante logas horas.

Os recursos de segurança – sobretudo a trava física para a câmera – também são interessantes para trabalhar sem medo de ter problemas envolvendo ataques hackers ou até mesmo algum curioso de olho na sua tela.

O preço, por sua vez, é um pouco inferior a notebooks mais "elegantes" que prometem entregar desempenho parecido, mas ainda assim um pouco caro se comparado a modelos intermediários. Vale reforçar que a presença do chip Ryzen (5 ou 7) e do SSD é uma garantia de boa fluidez para navegar na Internet, editar arquivos, baixar documentos, entre outras atividades, ao mesmo tempo.



>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.