Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.

O anúncio do Moto Z, primeiro celular modular da Motorola, levantou dúvidas sobre o que vai acontecer com a linha Moto X. De acordo com a fabricante, porém, os clientes não precisam se preocupar: o Moto X Play, o Moto X Style e o Moto X Force vão continuar à venda no país, mesmo depois que o Moto Z desembarcar por aqui. A afirmação é de Renato Arradi, em entrevista exclusiva ao TechTudo.

Testamos o Moto Z, celular da Lenovo com capinhas 'inteligentes'

Popular entre os brasileiros, o Moto X é conhecido por trazer especificações avançadas por preços competitivos, em relação aos rivais neste mesmo segmento. Segundo Arradi, o Moto Z oferece "um conceito diferente" do visto na linha atual, uma vez que permite a adição de acessórios nativos, os chamados Moto Snaps. Por isso o "Moto Z passa a ser o topo de linha", diz o executivo. A ideia é que Moto X e Moto Z coexistam nas prateleiras.

Moto X Style (Foto: Ana Marques/TechTudo)Moto X Style (Foto: Ana Marques/TechTudo)

Aplicativo do TechTudo: receba dicas e notícias de tecnologia no Android ou iPhone

A chegada do Z é prevista para setembro. Até que ele chegue às prateleiras, a segunda pergunta dos consumidores diz respeito ao preço: ele vai cair, já que o telefone vai deixar de ser o top de linha? "Quando a gente anunciar o preço do Moto Z, vamos alinhar em relação ao restante do nosso portfólio de produtos", afirma Arradi. Ele faz a ressalva de que o Moto X pode não passar por uma redução de preço e continuar com os valores atuais.

Caso esse cenário se confirme, uma das possibilidades é de que o Moto Z chegue por aqui para competir com o LG G5 SE, único smartphone modular à venda atualmente no país. O G5 custa R$ 3.499, o que levou a críticas dos consumidores, em especial por causa do hardware inferior ao encontrado em outros países. O Moto Z enfrentou as mesmas queixas depois que o TechTudo revelou que a ficha técnica para os Estados Unidos é superior.

Já a linha Moto X é encontrada por preços que variam de R$ 1.530 a R$ 2.499, dependendo do modelo escolhido. O X Force, com tela mais resistente a quedas e rachaduras, é o mais caro entre os aparelhos.

Um dos fatores em estudo é o câmbio. "Não temos um preço fechado por causa do dólar. Nossa ideia é entregar um produto por um valor que faça sentido", segundo o executivo. Ele destaca que o Moto Z é "o celular mais inovador e com o melhor hardware", o que pode indicar um preço mais próximo dos smartphones premium do momento – vistos como caros por parcela dos entusiastas da tecnologia, ainda mais em ano de crise.

Com o primeiro modelo lançado em 2013, o Moto X se tornou uma das referências no mundo da mobilidade por aliar bom desempenho com preço mais em conta. Junto dele também há o Moto G, atualmente na quarta geração, outro que se destaca entre os aparelhos com boa relação entre custo e benefício.

A aposta num Android "puro", praticamente livre de modificações, permitiu à Motorola se tornar a terceira maior vendedora de smartphones do Brasil. Ela detém participação de 20% neste setor, com a LG logo à frente, com 24%, e a Samsung na liderança, com 48%. Os dados são da consultoria Kantar para o período de abril de 2015 a março de 2016.

É possível fazer conferência com o Moto X? Aprenda no Fórum do TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.