O WhatsApp poderá ser usado para envio de intimações judiciais. A decisão, que visa a agilizar e desburocratizar o despacho do documento oficial, foi tomada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que aprovou a medida por unanimidade.
A resolução tem como base uma portaria feita pelo Juizado Especial Cível e Criminal de Piracanjuba (GO) em parceria com a OAB da cidade. Segundo o texto, o WhatsApp deve ser usado exclusivamente para realização de intimações e somente se as partes envolvidas aderirem voluntariamente aos termos do serviço.
WhatsApp começará a ser usado para envio de intimações judiciais (Foto: Anna Kellen Bull/TechTudo) WhatsApp em detalhes: conheça dez curiosidades sobre o mensageiro Outra afirmação importante da Portaria n. 01/2015 é que o uso do WhatsApp para essa finalidade é facultativo. Pela norma, a mensagem precisa ter confirmação de recebimento no mesmo dia de envio. Se isso não ocorrer, será preciso enviar a intimação judicial pelo método convencional.
O autor da ideia é o juiz da comarca de Piracanjuba (GO), Gabriel Consigliero Lessa, que usa o mensageiro desde 2015 para comunicação de atos processuais. Foi dele a iniciativa de abrir um Procedimento de Controle Administrativo (PCA) para contestar a decisão do TJ-GO, que havia proibido o uso do WhatsApp no âmbito do juizado Civil e Criminal daquela jurisdição. "Com a aplicação da portaria observou-se, de imediato, redução dos custos e do período de trâmite processual", afirmou Gabriel Lessa, que acredita que o recurso tecnológico é um aliado do judiciário. ...


>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.