Por Nicollas Ribeiro, para TechTudo

31/03/2019 08h30 Atualizado 2019-03-31T11:30:52.905Z


Free Fire Battlegrounds, jogo disponível para download em celular Android e iPhone (iOS) e para PC através do BlueStacks, tem muitos hackers. O uso de hacks, no entanto, é proibido pela Garena. Segundo a desenvolvedora, toda forma de adquirir vantagens através de programas de terceiros é proibida no game e deve ser denunciada. Os jogadores que utilizam os softwares podem receber punições severas, como banimento permanente dos servidores. Veja a seguir um pouco mais sobre os tipos de hacks presentes no Battle Royale, além das regras e punições previstas pela Garena.

Tipos de Hacks

Os hacks (ou cheats) são programas desenvolvidos por terceiros e que dão vantagens aos jogadores. No games competitivos, como Free Fire, o uso desse tipo de software é considerado uma trapaça, já que favorece um jogador diante do seu adversário. Existem diversos tipos de hacks que facilitam os usuários em diferentes situações. Conheça, a seguir, alguns dos hacks mais usados no Battle Royale da Garena.

  • Wallhacks: esse tipo de hack permite que o usuário veja através de paredes e as atravesse. Com os wallhacks, os usuários encontram inimigos à longa distancia, assim como itens, munições, armas, drops de suprimentos e loots a serem saqueados. Os jogadores que usam wallhacks dificilmente são surpreendidos por inimigos e podem organizar emboscadas com facilidade;
  • Aimbot Hacks: os hacks de direcionamento automático são uma das trapaças mais poderosas (e injustas) dos jogo de tiro. A proposta do Aimbot hack é travar a mira automaticamente em qualquer inimigo à vista. Assim, todos os tiros disparados pelo usuário trapaceiro atingem o adversário até que o mesmo seja abatido;
  • Mod Menu: ao instalar este hack, o jogador ganha diversas vantagens, como aumento do dano de ataque, auxílio de mira, armas sem recuo, aumento na velocidade de movimento, teletransporte em curtas distancias, pilhagem (loots) automática, saltos automáticos para evitar ser atingido, entre outros;
  • Resources Generator: a ideia deste hack é permitir a manipulação de Moedas e Diamantes no Free Fire de uma forma rápida.

Vale lembrar que o uso de qualquer programa de terceiro pode ser entendido com hack pela Garena, mesmo que esse programa não dê nenhuma vantagem competitiva ao jogador. Esse é o caso do GFX Tool. O programa está disponível apenas para Android e auxilia, principalmente, os jogadores que possuem aparelhos de baixa capacidade. Com ele, o usuário pode ajustar a textura do jogo, filtrar as cores, ligar e desligar sobras, reduzir efeitos, alterar padrões de resolução e fixar a quantidade de FPS (Frames Per Second).

Posicionamento e punições da Garena

De acordo com os Termos de Uso do Free Fire, "Usar software de terceiros, explorar bugs, fazer modificações no usuário, e qualquer outro comportamento que dê vantagem indevida sobre outros jogadores será considerado fraude". Tais atitudes podem acarretar em punições como: "proibição de conta e proibição de dispositivo permanentemente".

Em janeiro de 2019,

... a Garena, desenvolvedora do game, divulgou que mais de 100 mil jogadores haviam sido punidos pelo uso de programas ilícitos. Ainda segundo a empresa, Free Fire é capaz de detectar a presença de ferramentas e mods dentro do jogo automaticamente. Porém, a denúncia facilita e acelera o processo de descoberta e punição dos infratores. E ela pode ser feita dentro do próprio jogo, ou através do site oficial da Garena. É importante que sejam apresentadas imagens e/ou vídeos que comprovem a fraude.

Via Garena International, HackerBot, ZestHack



>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.