Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.

Por Isabela Cabral, para o TechTudo


Com Black Friday chegando (evento acontece dia 23 de novembro), o site Reclame Aqui fez um levantamento das empresas que mais receberam reclamações nos últimos anos durante este período, além das queixas mais comuns entre os usuários. De 2012 a 2017, mais de 39 mil reclamações sobre compras realizadas no dia especial de promoções foram registradas.

Segundo os dados, em 2017, a loja mais problemática foi a Magazine Luiza, enquanto em 2016 e 2015 a KaBuM! liderou o ranking. Vale destacar que as lojas com mais reclamações estão entre as mais famosas do país, logo recebem milhares de visitas durante o evento.

Black Friday: cinco dicas para comprar com segurança

Black Friday: cinco dicas para comprar com segurança

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

No ano passado, durante as 24 horas de ofertas, houve 3,5 mil queixas no site. Os principais motivos relatados pelos consumidores foram propaganda enganosa, problemas na finalização da compra e divergência de valores. No topo da lista, a loja online da Magazine Luiza foi alvo de 263 reclamações, seguida pela Americanas.com, com 245, e a KaBuM!, com 173.

Já na Black Friday 2016, o brasileiro foi mais cauteloso nas compras. O Reclame Aqui recebeu 2,9 mil queixas. As três razões mais citadas foram as mesmas: propaganda enganosa, divergência de valores e dificuldades na finalização da operação. A KaBuM!, empresa com maior volume de reclamações naquele ano, fechou o dia com 588 queixas, bem a frente do segundo lugar, a Americanas.com, que teve 249 registros. E, na terceira posição, o Submarino teve 149.

O ano de 2015 atingiu a marca de 4,4 mil reclamações, uma quantidade mais alta que em 2016 e 2017, mas ainda assim teve uma queda em relação aos números dos anos anteriores. Mais uma vez, propaganda enganosa, disputa de valores e falhas na hora de fechar a compra foram os problemas mais recorrentes. Loja mais reclamada, a KaBuM! recebeu 688 queixas. Em seguida, como em 2016, vieram a Americanas.com (431) e o Submarino (376).

Confira a seguir os rankings das dez empresas com mais reclamações na Black Friday em cada um dos últimos três anos e o respectivo número de registros.

Black Friday 2017

  • Magazine Luiza (loja online) - 263
  • Americanas.com (loja online) - 245
  • KaBuM! - 173
  • Casas Bahia (loja online) - 126
  • Submarino - 124
  • Netshoes - 88
  • Extra.com.br - 87
  • Walmart (loja online) - 77
  • Burguer King - 73
  • Americanas marketplace - 54

Black Friday 2016

  • KaBuM! - 588
  • Americanas.com (loja online) - 249
  • Submarino - 149
  • Netshoes - 117
  • Magazine Luiza (loja online) - 100
  • Extra.com.br - 89
  • Walmart (loja online) - 83
  • Fast Shop - 62
  • Ponto Frio (loja online) - 58
  • Casas Bahia (loja online) - 56

Black Friday 2015

  • KaBuM! - 688
  • Americanas.com (loja online) - 431
  • Submarino - 376
  • Netshoes - 155
  • Magazine Luiza (loja online) - 143
  • Extra.com.br - 137
  • Ponto Frio (loja online) - 128
  • Casas Bahia (loja online) - 121
  • Walmart (loja online) - 113
  • Shoptime - 110

Lojas suspeitas

É preciso ser cuidadoso com promoções tentadoras demais pela Internet que podem esconder golpes. Assim, outras listas importantes para se prevenir na Black Friday são divulgadas pelo Procon-SP (sistemas.procon.sp.gov.br/evitesite/list/evitesites.php), a Ebit (ebit.com.br/lojas-irregulares) e o Buscapé (buscape.com.br/lojas-nao-recomendadas). As instituições reúnem os sites reconhecidos por fraudes, como o uso de páginas falsas, a venda de produtos inexistentes e o roubo de dados de cartão de crédito. Vale fazer uma consulta antes de fazer uma compra em um e-commerce desconhecido.

Outras dicas de segurança

Os usuários também podem tomar algumas medidas de precaução para fugir da 'Black Fraude'. Verifique se a conexão é segura: "https" (e não apenas "http") e um cadeado ou certificado colorido na barra de endereço indicam que há criptografia na conexão. Desconfie se não for oferecido pagamento via cartão de crédito, mas apenas boleto bancário, pois essa é uma forma mais simples para criminosos aplicarem golpes.

Use as redes sociais para checar a confiabilidade de uma loja. Páginas verificadas no Facebook, Instagram e Twitter, grande quantidade de seguidores, bons comentários e avaliações podem ser indícios postivos. Por outro lado, fique atento a links suspeitos propagados pelas redes, por e-mail ou WhatsApp. Na dúvida, faça uma busca e pergunte a quem postou ou enviou, se for um amigo.

O que você quer que esteja mais barato na Black Friday? Deixe sua opinião no Fórum do TechTudo.

Black Friday: cinco dicas para comprar com segurança

Black Friday: cinco dicas para comprar com segurança

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.