Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.

Você se interessa por equipamentos de música e que melhorem a qualidade do som? Caso sua resposta seja positiva, você certamente já se deparou com subwoofers, uma caixa de som responsável pela reprodução de som grave e subgrave. É o sub que dá aquela diferença entre um som “seco”, melhorando a qualidade à reprodução de áudio. Mas além de saber o que é esse aparelho, também é importante distinguir a tecnologia ativa da passiva. O TechTudo explica essas diferenças e acaba com as suas dúvidas. 

Conheça caixas de som com subwoofer para PC com melhor custo benefício

Subwoofers passivos são mais baratos e podem ser a solução ideal para o seu home theater (Foto: Divulgação)Subwoofers passivos são mais baratos e podem ser a solução ideal para o seu home theater (Foto: Divulgação)

Subwoofer passivo

Nesse caso, o subwoofer fica responsável por reproduzir o som grave que já chega amplificado por um aparelho externo, como um computador ou um reprodutor de blu-ray. Normalmente, a opção passivo não depende de alimentação independente de uma tomada. Os modelos passivos também não permitem ajustes finos de volume, frequência e controle de fase.

A grande vantagem de um subwoofer passivo para a montagem de um home theater, por exemplo, é que esse tipo de sistema tende a ser mais barato. E para quem não é tão exigente em relação ao som, essa solução é capaz de atender perfeitamente as necessidades.

Qual a diferença entre potência RMS e PMPO? Comente no Fórum do TechTudo.

Subwoofer ativo

Subwoofers ativos precisam de alimentação de energia própria e permitem ajustes mais precisos (Foto: Divulgação)Subwoofers ativos precisam de alimentação de energia própria e permitem ajustes mais precisos (Foto: Divulgação/Yamaha)

Mais robustos e capazes, os subwoofers ativos precisam de alimentação de energia própria e, ao contrário dos passivos, possuem um amplificador próprio. A presença do amplificador dedicado permite que o usuário realize ajustes finos em parâmetros de reprodução de som, como a frequência, volume e controle de fase.

Modelos mais recentes permitem até configurações bastante específicas para compensar características eventuais ressonâncias do ambiente em que estão instalados. Esse tipo de subwoofer é mais recomendado a quem pretende investir mais e exige muita qualidade sonora, além da possibilidade de ajustar diversas características da reprodução sonora. Modelos ativos tendem a custar mais do que os modelos passivos.

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.