Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.

A Ubisoft trouxe seu For Honor para a BGS 2016. O jogo, que foi anunciado na E3, chega em 14 de fevereiro ao Xbox One, PC e PS4. Uma de suas produtoras, Bio Jade, é designer de modos de jogo e esteve na feira de games para explicar um pouco mais do funcionamento e desenvolvimento de For Honor para o público brasileiro.

Acompanhe a cobertura da Brasil Game Show 2016

Concepção improvável

Apesar de sabermos que a Ubisoft sempre apoia e incentiva a criação de novas marcas, este foi um game que saiu um pouco “do nada” e teve uma concepção improvável. “A ideia não veio do estúdio, mas sim do nosso diretor de produção. Não foi um jogo ‘encomendado’ ou algo assim”, disse a produtora.

For Honor é aposta da Ubisoft para início de 2017 (Foto: Reprodução/Felipe Vinha)For Honor é aposta da Ubisoft para início de 2017 (Foto: Reprodução/Felipe Vinha)

Download grátis do app do TechTudo: receba dicas e notícias de tecnologia no Android ou iPhone

Bio Jade, que já trabalhou em diversos títulos da Ubisoft, contou que o game tinha apenas um protótipo bem inicial, com “bonecos de palitinho”, para demonstrar como iria funcionar. “Era um game de ação, mas sem os gráficos 3D que vemos hoje. Apresentamos para a Ubisoft, que gostou do que viu e nos deu sinal verde para a produção. Foi maravilhoso, pois achamos que ele é um sucesso certo!”, revelou.

For Honor é um jogo de combate em arenas, mas terá campanha para um jogador, com bastante foco em narrativa – uma surpresa para quem achava que o game seria exclusivamente multiplayer. Contudo, teremos diversos modos para jogar contra outras pessoas, a exemplo do “Skirmish”, que é o mais livre de todos, e inclui todos os outros modos dentro de si.

Produtora de For Honor, Bio Jade (Foto: Reprodução/Felipe Vinha)Produtora de For Honor, Bio Jade (Foto: Reprodução/Felipe Vinha)

O Duelo é o modo que promete ser o mais clássico, colocando um jogador contra o outro em embates ferozes na arena menor. Os comandos são versáteis e quase totalmente intuitivos. Por enquanto a produção planeja ter três facções: Nórdicos, Japoneses e Europa do Leste, com estilo de combate bem distintos.

Com a grande onda de jogos pensados para realidade virtual, Bio respondeu a perguntas sobre uma possível adaptação de For Honor para essa tecnologia. “Acho que For Honor não ficaria legal adaptado para o VR, pois é necessário jogar vendo seu personagem, para ter a real noção de todos os seus movimentos, em terceira pessoa. Porém, isso é só minha opinião, os planos no futuro podem mudar, tudo depende do estúdio”, contou.

For Honor tem jogabilidade de batalha em terceira pessoa (Foto: Reprodução/Felipe Vinha)For Honor tem jogabilidade de batalha em terceira pessoa (Foto: Reprodução/Felipe Vinha)

Segundo a produtora, alguns dos games que influenciaram a produção de For Honor foram títulos de ação com foco no multiplayer, como Call of Duty. “Queríamos um título de ação frenética e intensa, e acho que conseguimos trazer isso para For Honor. O público brasileiro está curtindo, pelo que pude ver nos teste aqui da feira”, complementou.

For Honor foi feito para ser um jogo “único”, mas pode ser transformado em série, caso faça sucesso. A ação em terceira pessoa com gladiadores de diversas nacionalidades pode ser acertada se a jogabilidade bem trabalhada vista durante a BGS se mantiver até a versão final do título.

Qual o melhor jogo da Ubisoft? Opine no Fórum do TechTudo.

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.