Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.

Por Victor de Abreu, para o TechTudo


As competições de jogos eletrônicos tornaram-se conhecidas no mundo todo através de títulos como Counter Strike: Global Offensive (CS:GO), League of Legends (LoL) e DotA 2. Outros games mais recentes, como Raibow Six Siege (R6), ganham cada vez mais força no cenário competitivo. Mas nem todos os jogos que tentaram entrar nos esports tiveram sucesso. Algumas franquias famosas nos consoles e PCs não tiveram a mesma sorte nos torneios. Veja, a seguir, cinco jogos que tentaram ganhar relevância nos esports, mas acabaram falhando.

Paragon

Desenvolvido pela Epic Games, mesma deselvolvedora do fenômeno Fortnite, Paragon chegou surpreendendo com belos gráficos e mecânicas originais para o gênero (MOBA em terceira pessoa). O competitivo do game começou com o Paragon Exibition Event (PEX) em 2017 e se destacou com o Paragon Competitive League (PCL), que promoveu diversos torneios por mais de um ano.

Infelizmente, a Epic Games parou de investir no competitivo de Paragon, o que ocasionou até mesmo no fim da PCL. A empresa alegou que o seu foco atual estaria em Fortnite e que havia cometido alguns erros no caminho para emplacar seu MOBA da forma desejada. Assim, o jogo foi encerrado em abril de 2018.

Command & Conquer (ranquia)

Command & Conquer foi um dos principais jogos de RTS (Real-time strategy) da última decada. Desenvolvido inicialmente pela Westwood Studios em 1995, o game foi um grande sucesso em seus primeiros anos, tanto nos PCs como nos consoles de mesa, sendo um dos responsáveis pela popularização do gênero RTS.

Apesar do sucesso entre os jogadores casuais, o game não emplacou no cenário competitivo. Command & Conquer 3 e suas expansões chegaram a aparecer em eventos como a World Cyber Games em 2007 e 2008. A franquia tinha tudo para concorrer com jogos como StarCraft 2, mas a sua sequência mudou muitas mecânicas presentes nos jogos anteriores e tirou boa parte da sua competitividade. A comunidade de Command & Conquer ainda organiza regularmente torneios de C&C3, mas sem o apoio que recebia há quase uma década, as chances do RTS voltar aos palcos principais dos esports são muito baixas.

Marvel vs Capcom: Infinite

Marvel vs Capcom: Infinite foi outro título que tentou entrar no competitivo, mas não vingou na cena. A Capcom, produtora do game, chegou a promover torneios qualificatórios e um grande evento final com os seus melhores jogadores. O circuito foi chamado de Battle For The Stones, mas aconteceu apenas em 2017. O jogo também ficou de fora da Evolution Championship Series (EVO) 2018.

Vale lembrar que Marvel vs Capcom: Infinite sofreu muitas críticas da comunidade, que se queixou sobre o retorno das batalhas em duplas no lugar de trios, e a ausência de personagens clássicos da franquias, como Storm, Wolverine e Magneto.

Infinite Crisis

Infinite Crisis é um MOBA da DC Comics desenvolvido pela Turbine e WB Games. O título apostou no popular gênero de jogos competitivos para entrar nos esports e, com alguns meses de vida, apareceu em torneios da Major League Gaming (MLG) e ESL, com premiações que chegaram até a U$ 25 mil (cerca de R$100 mil em conversão direta). Apesar de todo o investimento e propaganda, o título não emplacou e os jogadores abandonaram o game em pouco tempo. Infinite Crisis foi encerrado em agosto de 2014.

LawBreakers

O FPS da Boss Key Productions foi lançado com a promessa de ser rival direto de Overwatch, da Blizzard. O título chegou a aparecer na DreamHack, após um circuito de quase dois meses. Mas o game não conseguiu se manter em um gênero dominado por outros títulos, que além de Overwatch, tem Quake e Paladins, por exemplo. Desta forma, o jogo foi encerramento em 14 de setembro de 2018.

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.