Há exatos sete anos o Brasil vivia a sua primeira transmissão de TV em sinal digital. Mas apesar do processo de transição do sinal analógico para o digital já ser 'antigo', muita gente ainda não entende as duas tecnologias e suas diferenças. O TechTudo preparou um pequeno guia para explicar as diferenças
entre os dois sinais e as vantagens dessa mudança que promete ser concluída até 2018.
Testamos a TV curva 4K de 105 polegadas que custa meio milhão de reais
Primeira transmissão em sinal digital no Brasil completa sete ano hoje (Foto: Foto: Pond5)
O formato analógico O antigo formato analógico é composto por um sinal contínuo, que varia em função do tempo. É possível representá-lo com uma curva, que apresenta intervalos com valores que variam entre 0 e 10. Uma das principais características deste tipo de sinal é que ele passa por todos os valores intermediários possíveis (0.01 , 0.566 , 4.565 , 8.55…), o que resulta em uma faixa de frequência bem maior e por isso não tão confiável e com qualidade inferior, devido à oscilação. É muito comum representar este tipo de onda como uma série de parábolas que se alternam sobre um centro. Resumindo, ele é um sinal que é caracterizado pela variação contínua de suas grandezas em um determinado espaço de tempo.
O sinal analógico representado em curvas (Fonte: Reprodução/Wikipedia)
Exemplos de sinais analógicos podem ser encontrados por toda natureza. Até mesmo o som de nossa própria voz pode ser representada como algo análogo a esse formato. Dentro...

>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.