Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.

Ter o apartamento dos sonhos envolve um pouco mais que encontrar o preço acessível ao orçamento. Além do valor da compra, alguns outros gastos estão inclusos para terminar a negociação. É o caso dos valores envolvidos em escritura e registro do imóvel, que acontecem em cartórios diferentes — a escritura pública se dá no Tabelionato de Notas e o registro/matrícula no Ofício de Registro de Imóveis da cidade onde fica o apartamento —, além de alguns impostos, como o ITBI (Imposto de Transmissão de Bens Imóveis), cuja porcentagem varia entre as cidades. Certidões também precisam ser atualizadas e, portanto, o gasto das emissões desses documentos também precisa ser contabilizado. É importante lembrar que os valores cobrados pelos cartórios têm preço tabelado, variando de um estado para outro.

Ou seja, na hora de comprar um apê, você precisa se preparar para gastar bem mais do que o valor do imóvel. Veja quais são as despesas desse processo!

Compra do apartamento por financiamento

A documentação envolvida para financiar a compra de um imóvel vai além daquela exigida pelo banco. Certidões negativas de dívidas precisam ser apresentadas tanto para financiar quanto para registrar o imóvel. Ainda que o contrato de financiamento tenha o mesmo efeito que a escritura, os bancos costumam incluir uma sobretaxa para formalizar o negócio. Os valores para registro de compra financiada são um pouco reduzidos, considerando que as taxas são apenas do Cartório de Registro de Imóveis.

A escolha da instituição financeira a realizar o financiamento também precisa ser criteriosa, adequando os juros e requisitos às suas necessidades — e possibilidades do seu bolso, claro. Para fazer uma estimativa real dos gastos, é interessante simular o financiamento antes e ter uma base geral dos custos do financiamento e poder se programar, inclusive, fazendo consultas aos cartórios para ter uma ideia do quanto vai gastar com a documentação. Algumas construtoras oferecem tanto o financiamento quanto a simulação, facilitando a tarefa de quem está em busca do seu apartamento.

Outros custos

Valores pagos para corretagem e mesmo para o despachante imobiliário podem tornar mais cara a transação, mas, em alguns casos, são indispensáveis para que tudo saia de acordo com o planejado, garantindo a você a propriedade do imóvel sem maiores dores de cabeça.

Aliás, a compra de um apartamento exige um pouco mais de cuidado do que adquirir uma casa, por exemplo. Isso porque é preciso verificar se o condomínio está em dia, se o IPTU está dentro do previsto e se é necessário (e possível) redecorar.

Em resumo, é difícil estimar o valor exato das despesas na compra do apartamento, mas, de maneira geral, esteja preparado para gastar até 8% do valor da transação com os cartórios e demais documentos. Além do que, registrar a compra é imprescindível para ter todos os seus direitos garantidos, pois só o registro em matrícula garante a propriedade, impedindo que o imóvel seja vendido a outra pessoa sem o consentimento do novo dono.

Pode parecer mera burocracia, mas esses valores compensam a tranquilidade de ter um imóvel regularizado, e o que é melhor: seu!

Pronto para investir no seu sonho e comprar um apartamento? Ainda tem dúvidas ou quer saber mais sobre as maneiras de fazer isso? Continue acompanhando nosso blog e fique por dentro!

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.