A segunda semana do segundo split do CBLoL mostrou a variedade de campeões que esse meta peculiar pode nos proporcionar. Tanto dos times que conseguiram rápida adaptação às mudanças como aqueles que ainda precisam trabalhar um pouco mais para obter resultados melhores.

Vamos ver agora os resultados dessa segunda semana e como ficou a tabela de classificação:

ProGaming x RED Canids

1° Jogo: Vitória da ProGaming

A execução de ambas as equipes não estava em dia. Erros atrás de erros acabaram por tornar o jogo equilibrado, principalmente em relação ao ouro. A começar pelo dive malsucedido da PRG na tentativa de eliminar Pedro “LEP” Marcari na rota do topo. A dupla coreana, Kim “Sky” Há-neul e Lee “Chaser” Sang-hyun, não conseguiu salvar seu companheiro, mas chegou bem a tempo de conquistar os abates em Álvaro “Vert” Martins e em Mateus “Skybart” Neves, e dar a vantagem para a RED.

Outro erro a se destacar foi a falta de comunicação na RED em uma tentativa de inicialização por parte de LEP, que ficou distante do seu time ao receber o ultimate do Skarner de Gustavo “Minerva” Queiroz. E para piorar, ainda ficou em uma situação ruim graças ao desengage de Matheus “Professor” Leirião e seu Rakan, que segurou todo o time da RED e impediu que LEP recebesse qualquer tipo de ajuda.

Os erros foram inúmeros, mas a ProGaming acertou no controle de dragões do início ao fim. Com a presença de um Mordekaiser, a RED sabia que precisava conter as investidas da PRG contra os dragões e manter a visão nas proximidades. No entanto, não foi isso que aconteceu, e as consequências apareceram no momento chave do jogo.

Após vencer uma luta, a RED tomou a decisão de fazer o barão. O problema era que a composição da RED não tinha dano suficiente para realizar o objetivo antes do retorno do time da PRG. Então, em mais uma jogada incrível de Professor, a RED viu suas esperanças irem embora quando três membros da equipe foram eliminados, e a PRG aproveitou para fazer o Barão e o Dragão Ancião.

Esse foi o combo perfeito para fechar o jogo, visto que a PRG havia conquistado todos os dragões até então, tinha o espírito do dragão nas mãos do Mordekaiser de Lucas “Luskka” Rentechen e mais um minion com flâmula de comando para ajuda-los a chegar ao nexus e garantir a primeira vitória.

Professor mostrou habilidade com seu Rakan e foi importante na primeira vitória da ProGaming (Foto: Divulgação/Riot Games)

... idth="13.5px" height="11.25px" viewbox="0 0 13 12"> Professor mostrou habilidade com seu Rakan e foi importante na primeira vitória da ProGaming (Foto: Divulgação/Riot Games)

2° Jogo: Vitória da ProGaming

Em um patch bastante peculiar, onde os AD carrys estão com cada vez menos espaço, todos esperavam apenas por escolhas exóticas sendo utilizadas na bot lane. A PRG ignorou tudo e colocou o Ezreal nas mãos de Luskka, que não decepcionou e mostrou que ainda há atiradores que podem fazer a diferença.

A PRG contou com as boas atuações do restante do time, mas também contou alguns erros do mid laner adversário. Sky, mesmo estando com a campeã Irelia, que está bastante forte no patch, cometeu alguns erros de posicionamento e até perdeu um duelo contra o Urgot de Vert. Embora tenha conseguido alguns abates, ele foi o destaque negativo no primeiro ace da ProGaming, quando ele chegou atrasado para a luta e acabou eliminado logo em seguida.

Esse erro custou caro. O ace deu para a ProGaming o espaço para conquistar a vantagem que precisava e fazer a sua composição começar a funcionar. Tanto que aos 35 minutos, mesmo com um jogador a menos, eles foram capazes de interromper a tentativa de barão da RED, vencer mais uma team fight e ainda conquistar o barão.

O buff foi bem aproveitado com a derrubada do inibidor, e a proposta colocada pela PRG no draft foi confirmada ao executar mais uma boa luta na bot lane, que resultou na derrubada das estruturas da RED e o nexus, garantindo a vitória na série por 2 x 0.

Essa foi a segunda derrota da RED Canids, que já começa a ser pressionada por resultados melhores. Já a ProGaming respira aliviada com sua primeira vitória na competição.

Luskka opta pela zona de conforto e tem boa atuação com o campeão Ezreal (Foto: Divulgação/Riot Games)

Luskka opta pela zona de conforto e tem boa atuação com o campeão Ezreal (Foto: Divulgação/Riot Games)

Vivo Keyd x INTZ

1° Jogo: Vitória da Vivo Keyd

A maior arma da Keyd nesse jogo foi o tempo. Simplesmente, o tempo. O começo do jogo foi bastante equilibrado, com a INTZ tomando a iniciativa, buscando os abates e aproveitando do poder inicial de sua composição.

Porém, a agressividade dos intrépidos durou até os 19 minutos de jogo, quando, em uma tentativa falha de eliminar o Galio de Luan “Jockster” Cardoso, ela recebeu uma resposta incrível da Keyd. Em uma chegada rápida, quatro integrantes da INTZ foram eliminados, sobrando apenas Rodrigo “Tay” Panisa com seu Jayce.

A partir desse momento, a bola de neve da Vivo Keyd não parou de crescer, sendo o principal destaque a vantagem que Gabriel “Tockers” Claumann adquiriu em ouro para cima de seu oponente de rota, Bruno “Envy” Farias e sua Lulu. A sincronia de Gabriel “Revolta” Henud e Jockster também estava em dia quando precisaram executar o combo clássico de ultimates dos campeões Camille e Galio respectivamente.

Sem qualquer chance de se recompor, a INTZ perdeu objetivos e lutas atrás de lutas, até ver o nexus cair aos 29 minutos de partida.

Revolta, com sua Camille, fez boas inicializações e foi essencial na vitória da Vivo Keyd (Foto: Divulgação/Riot Games)

Revolta, com sua Camille, fez boas inicializações e foi essencial na vitória da Vivo Keyd (Foto: Divulgação/Riot Games)

2° Jogo: Vitória da Vivo Keyd

INTZ repete o Renekton, nas mãos de Luis "Absolut" Carvalho, a Vivo Keyd permanece com o Darius e Mordekaiser, nas mãos de Felipe "Yang" Zhao e Micael "Micao" Rodrigues respectivamente, e o resultado acabou por ser o mesmo. A proposta da INTZ era de team fight, repetindo o combo adversário da última partida, Camille e Galio, e acrescentando Kennen para causar mais dano em área. Embora tenham conseguido sucesso em determinadas jogadas, essas não foram o suficiente para derrubar o ímpeto da Vivo Keyd.

Era provável que houvesse um plano para a INTZ ao colocar Renekton contra Mordekaiser duas vezes, mas Revolta, com sua Taliyah, não quis dar chances ao azar e, logo no começo da fase de rotas, já buscou ir à bot lane e garantir o abate em Absolut. Por conta disso, a vantagem de farm de Micao para ele só cresceu com passar dos minutos.

Como se isso não bastasse, Yang, que já havia realizado um belo primeiro jogo, estava em um dia inspirado com seu Darius e terminou a segunda partida da série com nove abates e o destaque da partida.

Com o resultado, a Vivo Keyd fica na liderança com duas vitórias, e a INTZ amarga seu primeiro revés na competição.

Yang mostrou maestria com seu Darius e não deu quaisquer chances para a INTZ se recuperar na partida (Foto: Divulgação/Riot Games)

Yang mostrou maestria com seu Darius e não deu quaisquer chances para a INTZ se recuperar na partida (Foto: Divulgação/Riot Games)

Kabum x Flamengo

1° Jogo: Vitória do Flamengo

Unilateral foi a primeira partida do sábado, 16. Um domínio quase completo na vitória da equipe rubro-negra para cima da campeã do primeiro Split. O Flamengo respondeu todas as investidas da Kabum à altura e, sem correr riscos, administrou a vantagem adquirida.

Logo aos seis minutos de jogo, Bruno “Goku” Miyaguchi fez uma boa jogada para garantir o First Blood em cima de Matheus “Dynquedo” Rossini, dando a ele o domínio completo na rota e a liberdade para começar a auxiliar o time pelo mapa. Porém, o verdadeiro destaque da partida apareceu logo em seguida. O top laner Park “Jisu” Jin-cheol, ao ver Luccas “Zantins” Zanqueta utilizar do “Manter a união” com seu campeão Shen na bot lane, usou do teleporte e encaixou uma ultimate perfeita com seu Kennen, garantindo dois abates e o Dragão Infernal para o Flamengo.

A partir desse momento, a Kabum não se encontrou mais no jogo. O Flamengo controlou a visão, garantiu objetivos e sufocou o adversário com sua pressão. Então, uma chamada de Barão por parte dos rubro-negros fez com que a Kabum se desesperasse e fosse para o combate, ocasionando na team fight perfeita para o Flamengo e mais uma ultimate incrível do Kennen do jogador Jisu.

Com o buff do Barão, ficou fácil para o Flamengo empurrar as rotas e partir para a vitória com apenas 28 minutos de partida.

Jisu, com seu Kennen, foi uma enorme dor de cabeça para a Kabum (Foto: Divulgação/Riot Games)

Jisu, com seu Kennen, foi uma enorme dor de cabeça para a Kabum (Foto: Divulgação/Riot Games)

2° Jogo: Vitória da Kabum

O draft da Kabum já mostrava qual seria sua intenção no jogo: deixar os recursos para Dynquedo (Kayle) e, ao lado de Zantins (Nunu) como uma espécie de suporte, torna-lo a arma principal para a vitória. Essa é uma estratégia que tem sido muito utilizada em outras ligas e, inclusive, foi utilizada pelo próprio Flamengo na última semana, mas com campeões diferentes. Embora com muitas dificuldades, a Kabum fez a composição funcionar e venceu o segundo jogo da série.

O começo do jogo foi completamente dominado pelo Flamengo. Goku, com sua campeã Taliyah, soube se portar bem na desvantagem, conseguiu colocar pressão em outras rotas e ainda manteve um bom farm em relação a Dynquedo, apesar de bem menor graças aos recursos dados para a Kayle. Tudo indicava que ele seria o destaque de seu time e da partida, mas a Kabum teve paciência para segurar o jogo, e o Flamengo não soube agressivar quando deveria.

A Kayle de Dynquedo conseguiu ficar forte com o tempo e se tornou uma dor de cabeça para os rubro-negros. Mesmo derrubando inibidores, principalmente com as boas rotações do jungler Lee “Shrimp” Byeong-hoon, o Flamengo não conseguiu encontrar o espaço para fechar o jogo. Dynquedo fez a confiança de seu time valer e segurou a partida em diversos momentos, protegendo a base, causando dano considerável nas team fights e garantindo importantes objetivos.

Embora tenha sido o nome do jogo, a última luta não teve a presença de Dynquedo, que foi o escolhido para proteger a base enquanto o resto do time executava o Dragão Ancião. Porém, aos 47 minutos de jogo, não era só ele que estava forte no jogo, e o AD carry da Kabum, Alexandre “Titan” Lima, mostrou isso ao conseguir um triple kill na team fight pelo dragão e ajudando o time no avanço final até o nexus inimigo.

Dynquedo fez valer a confiança de sua equipe na segunda partida da série (Foto: Divulgação/Riot Games)

Dynquedo fez valer a confiança de sua equipe na segunda partida da série (Foto: Divulgação/Riot Games)

3° Jogo: Vitória do Flamengo

A Kabum apostou novamente naquilo que já havia funcionado, Kayle e Nunu como seu suporte. A questão foi que o Flamengo já estava preparado para enfrentar essa composição, deixou-os utilizar da mesma estratégia e usou de um draft totalmente voltado para combate-la.

Goku, com sua Anivia, e Shrimp, com seu Trundle, foram capazes de atrapalhar os planos da equipe da Kabum com seus desengages que impediam os avanços da Kayle de Dynquedo. Embora a Kabum tivesse acelerado bastante o jogo no começo, bem mais do que na partida anterior, o Flamengo não se desesperou e esperou o momento certo para derrubar as esperanças de seu adversário.

E foi aos 23 minutos que o momento chegou. Uma chamada atrapalhada de Barão por parte da Kabum foi perfeita para Andre “esA” Pavesi brilhar com seu Fiddlesticks e abrir o caminho para seu time realizar uma bela contestação, onde apenas Titan, curiosamente jogando de Camille na top lane, saiu vivo.

Depois desse momento, o Flamengo apenas administrou, até derrubar o nexus inimigo aos 29 minutos e garantir a primeira vitória no CBLoL 2018. Campeã do primeiro split, a Kabum segue sem vitórias na competição.

Com seu Fiddlesticks, esA executou boas rotações e foi crucial na team fight decisiva pelo barão. (Foto: Divulgação/Riot Games)

Com seu Fiddlesticks, esA executou boas rotações e foi crucial na team fight decisiva pelo barão. (Foto: Divulgação/Riot Games)

IDM Gaming x CNB e-Sports Club

1° Jogo: Vitória da CNB

A CNB apostou em uma mudança curiosa em sua line-up: a saída do AD Carry Pablo “Pbo” Yuri. Essa mudança se dá muito por causa do meta atual, onde, como já mencionado, há pouco espaço para os atiradores convencionais. E, no primeiro jogo da série, ela acabou surtindo um efeito positivo.

Com mais uma aposta na dupla Kayle e Nunu, nas mãos de Bruno “Brucer” Pereira e de Yan “Yampi” Petermann respectivamente, a CNB não parecia dar indícios de que faria essa estratégia funcionar. O mid laner da IDM, Ruan “Anyyy” Silva, mesmo estando em uma situação de dois contra um, foi capaz de exercer pressão em Yampi e Brucer, e até manter um farm parelho jogando com sua Zoe.

O começo de jogo foi todo da IDM. Fez excelentes rotações, derrubou as três primeiras torres e adquiriu vantagem em questão de dragões. Porém, aos 24 minutos de partida, eles cometeram um erro grave e jogaram fora todo o esforço que tiveram. Uma tentativa falha de eliminar Brucer (Kayle) resultou em um triple kill do mesmo, um ace e um barão para a CNB.

A IDM até tentou se defender em sua base, mas a composição da CNB já havia chegado no ponto que eles queriam, onde a Kayle se transforma em uma campeã quase imparável. Bastou apenas derrubar as estruturas, vencer a última team fight com certa facilidade e partir para a vitória.

Rafael "Rakin" Knittel, com sua escolha de Lulu, foi essencial para a composição funcionar. (Foto: Divulgação/Riot Games)

Rafael "Rakin" Knittel, com sua escolha de Lulu, foi essencial para a composição funcionar. (Foto: Divulgação/Riot Games)

2° Jogo: Vitória da CNB

Dessa vez, os blummers fizeram uma partida quase perfeita e atropelaram a IDM para garantir mais três pontos na competição. A começar pelo excelente jogo feito por Yampi (Graves), que impôs enorme agressividade em todas as rotas e influenciou o jogo positivamente para seu time.

Leonardo “Robo” Souza também não ficou atrás. Com seu Darius, aos 15 minutos de jogo, simplesmente derrubou todos os seus adversários, fez um triple kill e iniciou a bola de neve da CNB. Podemos destacar também a atuação perfeita de Gustavo “Baiano” Gomes, que, com um AMA de 4/0/15, participou de todas as eliminações do seu time e não foi abatido também.

Ao lado de Baiano e Yampi, Robo se destacou na partida com seu Darius (Foto: Divulgação/Riot Games)

Ao lado de Baiano e Yampi, Robo se destacou na partida com seu Darius (Foto: Divulgação/Riot Games)

Com esse resultado, a CNB assume a liderança ao lado da Vivo Keyd, ambos com 6 pontos. A IDM permanece com seus 3 pontos.

Confira como ficou a tabela do segundo split do CBLoL 2018 após a segunda semana:

Na terceira semana, os jogos serão os seguintes:

- 23/06 INTZ x Flamengo eSports (13h)

- 23/06 CNB e-Sports Club x ProGaming (15h)

- 24/06 IDM Gaming x Vivo Keyd (13h)

- 24/06 RED Canids x Kabum (15h)



>>> Veja o artigo completo no TechTudo

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.