Não está com tempo de ler? Ouça este conteúdo.

O mercado imobiliário possui uma série de nomenclaturas como, por exemplo, imóvel de terceiro ou imóvel de revenda. Para quem está em busca do sonho de comprar a casa própria, normalmente uma questão vem à cabeça primeiro no que se refere a estes termos: o imóvel é novo ou usado? Diante disto, existe no mercado uma categoria de imóveis com um nome que talvez soe um pouco pejorativo, mas que na verdade pode representar uma excelente oportunidade de negócio e, mesmo assim, não é conhecido por muitas pessoas. Trata-se do imóvel remanescente!

Você sabe o que são os imóveis remanescentes? Conhece a excelente oportunidade de negócio que estes podem trazer? Não? Então confira nosso post de hoje!

O que são imóveis remanescentes?

Toda construtora, ao concluir as obras de um empreendimento imobiliário ou anunciar um novo projeto a ser construído, lança no mercado sua mais nova oferta de imóveis a serem comercializados. Entretanto, independente do motivo, caso um imóvel não seja comercializado 180 dias após a data de seu lançamento, ele passa a ser denominado no mercado como imóvel remanescente.

Desta forma, não há sequer a necessidade de que o imóvel esteja pronto para que este possa ser considerado um remanescente, podendo esta nomenclatura referir-se tanto a um imóvel pronto, quanto a um imóvel na planta.

O que leva um imóvel a se tornar um remanescente?

Como dissemos, um imóvel passa a ser remanescente independentemente do motivo pelo qual não fora comercializado. Mas quais são as principais razões que o levam a ser denominado desta maneira? Compreender estes motivos é parte essencial para você esquecer essa ideia de que se trata de uma classificação pejorativa.

O primeiro fator que leva um imóvel a ser considerado remanescente diz respeito às suas características específicas. Isto significa que o imóvel apresenta problemas? Absolutamente não! Algumas vezes, por se tratar de uma cobertura e, consequentemente, possuir um preço maior, não é fácil comercializar estas unidades nos primeiros 180 dias de venda.

Além disso, certas construtoras podem optar por manter alguns imóveis como estratégia de vendas ou como formação de reserva técnica, por exemplo. Por fim, outra maneira relativamente comum de um imóvel tornar-se remanescente é quando, em virtude do não pagamento das parcelas, este imóvel é devolvido à construtora e, desta forma, recolocado à venda.

Quais os benefícios trazidos pelos imóveis remanescentes?

Na maioria dos casos, um imóvel parado representa um acréscimo de custo explícito às incorporadoras, pois passa a ser responsabilidade desta arcar com condomínio ou IPTU, por exemplo. Além disso, um imóvel remanescente também pode agregar custos implícitos, caso comece a perder valor de mercado com o tempo.

Diante destes e de outros fatores isolados, é muito interessante oferecer atrativos a quem se interessar em fechar negócio e comprar um remanescente, e é aí que excelentes oportunidades aparecem. As construtoras que possuem financiadora própria, por exemplo, conseguem oferecer uma série de facilidades como menor taxa de juros, redução do valor de entrada ou até mesmo parcelamento desse valor, extensão do prazo de pagamento e etc. Por fim, algumas incorporadoras chegam até mesmo a oferecer descontos diretos no preço do imóvel, tornando mais visível ainda o tamanho da oportunidade oferecida.

Restou alguma dúvida ou tem algum comentário que gostaria de compartilhar? Entre em contato conosco escrevendo no espaço reservado! Participe!

Sobre Gerência Imóveis

Única plataforma que conecta o proprietário à imobiliária e/ou corretor de imóveis com o foco em potencializar as vendas e torná-las mais seguras maximizando o tempo do corretor.